Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Façam o favor de ser felizes!!

Sábado, 08.08.09

  

  

 

 

 

 

O epitáfio que Raul quereria:

 

"Aqui jaz Solnado, contra a sua vontade"

 

 

 

Raul Augusto Almeida Solnado, nasceu a 19 de Outubro de 1929, foi humorista, apresentador de televisão e actor.

 

O nome de Solnado foi-lhe dado pela família de uma expressão que ouvira na aldeia de Fundada (Tomar) - "Acordem que já é sol nado".

 

Até à sua morte foi director da Casa do Artista, sociedade de apoio aos artistas situada em Carnide, Lisboa, que fundou juntamente com Armando Cortez, entre outros.

Solnado começou a trabalhar em 1947 no teatro amador, na Guilherme Cossul - uma colectividade que nunca esqueceu. Em 1952 estreou-se "profissionalmente" num show no Maxime e a partir daí não mais parou: opereta, revista, teatro clássico, cinema, televisão. Fazendo rir e pensar.

 

O grande salto deu-se na década de 60: o monólogo "A Guerra de 1908", estreado em Outubro de 1961, cedo passou a ser a guerra do Solnado.

 

Oito anos mais tarde, em 1969, com Carlos Cruz e Fialho Gouveia apresentou na RTP um programa inovador que se tornou um marco na programação televisiva: o "Zip-Zip". Na década de 60 criou de raiz e dirigiu o teatro Villaret.

 

A 8 de Agosto de 2009, Raul Solnado falece em Lisboa aos 79 anos de idade, vítima de doença cardiovascular prolongada. O humor e a representação nacional ficaram mais pobres com a perda dum ícone que motivou várias gerações de artistas portugueses e alegrou durante décadas um povo com poucas razões para sorrir.

 

Lusa/AO Online

portalcinema.blogspot.com

 

 

 

 

 

A Marcha do Soldado

 

 

Toca a marchar

Andar a afastar

Ser bom militar

Galopa

 

Anda p’ra frente

E mostra pra gente

Que sabes andar

Na Tropa

 

Um soldado quando avança

Avança com jeitinho

E traz a vizinhança

Toda presa p’lo beicinho

 

Toca a marchar

Andar a afastar

Ser bom militar

Galopa

 

Anda p’ra frente

E mostra pra gente

Que sabes andar

Na Tropa

 

Umas botas de invasão

Tão velhinha tão velhotas

Nem uma volta chegam a dar

Quem quer seguir estas botas

 

Toca a marchar

Andar a afastar

Ser bom militar

Galopa

 

Anda p’ra frente

E mostra pra gente

Que sabes andar

Na Tropa

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por VANDOVSKY às 20:02


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.





      

mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Agosto 2009

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031






comentários recentes

  • VANDOVSKY

    Obrigada... Bom Ano...

  • Milton

    Uma singela postagem.Cordial abraço e um excelente...

  • linda

    Saudades dos que a minha avó fazia:'(

  • VANDOVSKY

    Parece que finalmente encontrei a música que falta...

  • Libania Neves

    Ora aqui está um post, que é uma verdadeira lição ...

  • Libania Neves

    fiquei com vontade de conhecer!

  • Libânia

    belo e "doce" post!

  • Existe um Olhar

    Adorei esta ideia dos puzzles! Pequenos detalhes q...

  • VANDOVSKY

    Olá Manu,Tal como comecei por dizer neste post, es...

  • Existe um Olhar

    Um passeio muito bonito que fiz através do teu olh...





subscrever feeds