Quinta-feira, 24 de Dezembro de 2009

Mocho comi...

 

 

 Uma história que o meu avô materno nos contava, nas noites frias, quando estavamos à lareira

 

O Mocho e a Carriça

 

A Carriça – uma avezinha do bosque – estava muito feliz, no seu ninho, construído por ela num dos ramos mais altos de um carvalho. Sentia-se assim tão feliz porque lhe tinha acabado de nascer uma grande ninhada de filhinhos. Cantava, cantava, para eles, a fim de os adormecer, como qualquer mãe carinhosa.

 

         

Enquanto ela estava assim, neste enlevo, passou por ali uma Raposa gulosa que imediatamente sonhou com um bom almoço. Muito matreira dirigiu-se à Carriça, nestes termos: 

 

- Olá, comadre Carriça! Estás muito contente, hoje!

 

- Pudera! Não hei-de estar? Tenho aqui os meus filhinhos junto de mim e canto para os adormecer.
- Aí, é? Então, atira-me para cá um! – respondeu a raposa.

 

- Atirar um dos meus filhinhos? Nem penses nisso! Tanto que eu gosto deles!!!

 

Olha que se não me atiras um, cá para baixo, o meu rabo rabazolão deita o teu carvalho ao chão!!!

 

 

A pobre mãe, receando um mal maior, atirou, com grande desgosto do seu coração, um dos carricinhos.

 

A Raposa imediatamente o engoliu e partiu, nada satisfeita, para outro lugar.

 

        

 

No dia seguinte, à mesma hora, voltou a passar para junto da grande árvore onde se encontrava o ninho da Carriça. A pobre avezinha estava da mesma maneira, a cantar para os filhinhos que ainda tinha.

 

De novo, a Raposa meteu conversa com a Carriça:

 

 

- Então comadre Carriça, continuas contente!!! ...

 

- "Contente?! " – respondeu-lhe a Carriça. Não sejas má! Canto, mas estou triste e tu bem sabes porquê!!!

 

- Ora, ora … Atira-me para cá outro! …

 

- Outro??? … - respondeu-lhe a Carriça toda indignada.

 

- Isso é que eu não faço! Vai-te embora, malvada! Não tens coração!

 

- Olha que o meu rabo rabazolão deita o teu carvalho ao chão!!! – repetiu a raposa para meter medo à Carriça.

 

Esta coitadinha, mais uma vez pensou que se o carvalho caísse perderia os filhinhos! Então, chorando, atirou-lhe mais um dos carricinhos.

 

A Raposa, depois de o engolir, desatou a correr e desapareceu por entre as árvores do bosque.

 

A Carriça ficou soluçando, soluçando…

 

        

Mais tarde, passou por ali o Mocho Sábio que é muito amigo de todas as aves. Ouvindo o choro da Carriça, perguntou-lhe o que se passava. Esta, pobrezinha, explicou-lhe tudo o que a Raposa lhe dissera e como já tinha perdido dois dos seus filhinhos.

 

O Mocho , então, respondeu à Carriça:

 

- O quê? E tu acreditaste que a Raposa seria capaz de deitar o carvalho abaixo?! Ela só diz mentiras! Não tem força para isso!

 

Se ela voltar a passar por cá e te pedir outro dos teus filhinhos, responde-lhe assim: - Rabo de raposa não corta carvalho, só braço de homem ou gume de malho - ela que experimente a ver se é capaz de deixar cair uma árvore tão alta e forte. Está bem? Faz como te digo.

 

 

Assim foi. A Carriça, cheia de coragem, esperou que a raposa voltasse!

 

Mal ela se aproximou, pensando que teria outro bom almoço, já a Carriça estava preparada para lhe responder.

 

 

- Que tens hoje, Carriça, que não cantas?! – perguntou a Raposa com voz matreira.

 

- Não, não canto! – respondeu a avezinha com voz forte.

 

- Aí, não?! Então se não cantas atira-me cá para baixo um dos teus bebés!

 

- Isso é que tudo querias, mas não consegues! – respondeu a Carriça bem do alto da árvore!

 

- Olha que o meu rabo rabazolão deita o teu carvalho ao chão!!! – disse de novo a raposa.

 

E a carriça respondeu prontamente:

- Rabo de raposa não corta carvalho, só braço de homem ou gume de malho. Experimenta! Vamos ver se és capaz!

 

        

 

Nesse momento, a Raposa compreendeu que ia ficar mal colocada e, então, disse:

 

- Estás hoje muito sabida!!! Quem te ensinou isso?!

 

A Carriça com coragem retorquiu:

 

- Foi o Mocho Sábio!

 

- E onde está ele? – perguntou a Raposa.

 

- Olha, está lá ao fundo em cima da rocha grande!

 

A Raposa meteu o rabinho entre as pernas e correndo disse "por aí me sigo".

 

O Mocho estava a dormir, muito refastelado, em cima da pedra.

 

A Raposa, sem fazer ruído, abriu a boca e, de um trago, comeu-o, sem o mastigar, sequer.

 

 

Mas, como o Mocho sabia muito e era inteligente, dentro do estômago da raposa pôs-se a pensar na forma como haveria de sair de dentro do bicho. Tinha que ser mais esperto que a Raposa!... E foi!

 

Começou a dizer-lhe:

 

- Ó Raposa, tu de facto, fizeste uma coisa muito importante! Foste capaz de comer o Mocho Sábio! Todas os bichos e todas as pessoas deveriam saber isso!!! Olha grita bem alto: " Mocho comi! " – de maneira que se oiça lá na aldeia!

 

A raposa que era vaidosa, fez como o Mocho lhe disse, abriu a boca e gritou:

 

- Mo…o…o…cho comi…i…!

 

A ave, aproveitando o momento em que a Raposa tinha a boca aberta, saiu-lhe rapidamente da goela, gritando:

 

Haja outro, mas não a mim!

 

 

Versão retirada de :

 

http://www.minerva.uevora.pt/contos/mocho.htm
Feliz Natal

sinto-me:
música: jingle bells, jingle bells
publicado por VANDOVSKY às 00:01
link do post | comentar | favorito

                     Este    Blog              utiliza     o      Google                  Chrome

restos de mim

encontre outros restos

 

Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30


novos restos

Primavera

Inscrição para uma lareir...

A neve

Quando Está Frio no Tempo...

David Bowie... Sempre

Winter Wonder

Menino

Clandestinos do Amor

UPI na Escola

Momentos de inspiração VI...

Momentos de inspiração VI

Momentos de inspiração V

Palavras de mãe

Dá-me um beijo

Dia nacional do estudante

Dia da mulher

Vamos adivinhar II

O Vento que soa...

De passagem por Monsanto....

A cerimónia do chá II

restos conservados

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

mais inspiradores

tags

todas as tags

restos especiais

Música Tradicional da Bei...

A minha Aldeia

My favourite time of year

Aldeias Históricas... e n...

Momento musical


outros caminhos


Be Happy!!

Directorio de Blogs Portugueses